quinta-feira, 11 de junho de 2009

O pior fora que alguém pode levar

Ontem (10/06) fui a uma festa. Festinha pacata, num colégio (por sinal, o colégio que eu estudei, as Lourdinas), com um trio pé-de-serra e uma banda de forró "eletrônico", "travesti de forró", como diz Biliu de Campina.

Convidei váris garotas para dançar e de várias delas recebi um fora. Desanimei-me? Entristeci-me? Óbvio que não.

Uma grande tentação em situações deste tipo é a tentação da covardia. "Não, não vou chegar nem perto daquela garota, porque ela com certeza vai me mandar pastar!" Voltando-se a culpa para a garota - a maquiavélica, dominadora e fútil garota que mandará o rapaz pastar - escondemos nossa própria covardia.

Afinal, como sabemos se vamos receber, realmente, um fora se não convidarmos a menina primeiro? Tal dom de previsão inexiste em mim.

Na verdade, essencial a um homem de verdade, a um varão, é a virtude da coragem. Coragem de arriscar, de ir à luta, de enfrentar aos outros e, principalmente, a si mesmo.

Coragem. Esta é uma palavra-chave na vida de uma homem, uma das virtudes machazas que ele deve cultivar com afinco.

Covardia, em absoluto, não constitui um homem.

O pior fora que um homem pode levar não é o "não" de alguma garota, mas o fora de si mesmo, o voltar-se para si e covardemente dizer: "Não vá! És tão inútil e imbecil que ela com certeza te dará um não!" E aí priva-se até do que não se tem certeza. O pior fora é aquele que se dá em si mesmo.

A recompensa por tê-las tirado para dançar (e ter levado fora de várias delas) foram as garotas que não me deram fora e com quem dancei - lindas garotas.

Já imaginou se tivesse me furtado de convidá-las pensando de antemão que elas me diriam não?

Coragem! Coragem é palavra-chave para qualquer homem.

Nada de foras em si mesmo!

En Garde!

2 comentários:

  1. Guilherme Bessoni12 de junho de 2009 00:20

    Caríssimo, providenciais as tuas palavras! Eis uma coisa que preciso exercitar: a coragem!

    Obrigado pelos belos textos!!

    Paz e bem!

    En Garde!

    ResponderExcluir
  2. Caríssimo Guilherme,

    Eu é que agradeço pelo apoio às palavras e ao Blog En Garde!

    São demonstrações de apreço como as tuas que me dão justamente coragem de continuar este trabalho.

    Exercitemos, pois, todos juntos, esta virtude da coragem! Em breve escrevo outro texto a respeito, desta vez mais fundamentados.

    Grande abraço!

    En Garde, soldat!

    ResponderExcluir