domingo, 10 de janeiro de 2010

O Gayzismo tá rolando solto!

As notícias são cada vez mais assustadoras. O totalitarismo anti-natural da sodomia caminha a passos cada vez maiores.
Na Inglaterra um maldito Projeto de "Lei da Igualdade" - uma igualdade contra a natureza, fundamentado no pecado - quer aplicar suas leis "anti-discriminatórias" também à Igreja! Que grande absurdo: porque a Igreja Católica não aceita - e nunca aceitará, por doutrina bem definida e certa - homossexuais e mulheres no sacerdócio, poderia ser processada pelo Ministério Público. E agora eu pergunto para estes  revolucionários moderninhos: e a "liberdade religiosa" de que vocês tanto falam? E o "Estado laico" que vocês citam tanto quando a questão é aprovar crimes como aborto? Isso só vale quando lhes é conveniente, bando de hipócritas!
Na Holanda - esse já é um país moralmente acabado; dentro de uns 20 anos desaparece, de tanta podridão - um parlamentar, Boris van der Ham, quer que o "ensino do homossexualismo" seja obrigatório nas escolas, inclusive as religiosas. A justificativa do Sr. van der Ham? "As crianças estão sendo educadas numa mentalidade homofóbica". Ora, vamos! "Mentalidade homofóbica" para essa gente é você não ser gay, é você ser como Deus lhe criou para ser. Se você é como Deus lhe criou, você é homofóbico; se você é gay, então você é "mente aberta", "humanista", "libertário". Ou seja, ser homofóbico é você não ser gay;  mulher gostar de homem e homem gostar de mulher, isso é homofobia para essa gente; o que o Sr. van der Ham quer é que todo mundo seja gay, isso sim. E impor isso até para escolas religiosas? E o "Estado laico", Sr. van der Ham? Mas, óbvio, o Sr. van der Ham é um esquerdista: o negócio dele é perseguir religião. Ele está sendo coerente com os princípios da sua ideologia: perseguir, sufocar e matar as religiões. Começa assim, com essa dissimulação e hipocrisia.
Em Portugal, os socialistas conseguiram aprovar a lei do casamento gay no Parlamento. E o líder deles diz que "fez o que todo humanista deve fazer", evitar a discriminação e a injustiça. Que discriminação, sábio socialista? Que discriminação? Discriminado sou eu, que se falar contra os gays sou tachado de preconceituoso, ainda que meus conceitos sejam bem claros e fundamentados! Discriminada é a Igreja que tem que agüentar gente como vocês querendo peitá-la o tempo inteiro! Discriminada é a família, que a cada dia vai vendo suas bases serem destruídas! Os gays? Esse é o melhor mundo para os gays: você não pode falar contra eles, você não pode olhar feio para eles, você não pode se opor às leis deles, você não pode evitar que seus filhos assistam as aulas deles; e mais: você, se possível, deve até ser como eles! Que discriminação é essa, socialista hipócrita?? Esse é o melhor mundo para os gays! Agora ninguém venha me dizer, diante de exemplo como este, que o socialismo não quer destruir a família. Por favor!
E só para fechar, mostrando como esse mundo é o melhor para os gays - mas não é o melhor para a Família, que é a base da sociedade - na América Latina já foi realizado o primeiro "casamento" gay, na Argentina, e a Cidade do México acaba de aprovar um novo Código Civil, onde esse tipo de conluio pecaminoso  de Sodoma também é permitido. "Ó, grande conquista: vencemos a mentalidade medieval e supersticiosa dos católicos latinos! Ó!", dirão os revolucionários modernistóides. Vocês estão é destruindo o mundo, revolucionários! Estão é destruindo o mundo, ao destruírem as famílias. E o que vocês querem é calar, prender e matar todos que não queiram deixar o mundo se acabar como vocês querem que ele se acabe!
Mas, para não se pensar que tudo está perdido, saiu também a notícia de que  o Estado de Nova Jersey não aprovou o projeto de lei que legaliza o "casamento" gay (lá são permitidas apenas uniões civis, mas eu não sei dizer bem a diferença que uma coisa possa ter da outra). É coisa pequena, eu sei, diante da enxurrada de notícias que recebemos em prol do totalitarismo gay... Mas, é o que nós temos.
O importante é que não percamos a esperança e que não fraquejemos, que não desistamos de lutar pela família, pela vida e contra a indecência. Se lutarmos por isso cotidianamente, eu e você, em nossas próprias vidas, já estamos fazendo muito. Como muito bem ensina São Josemaría Escrivá:
"Não te escandalizes por haver maus cristãos, que fazem barulho e não praticam. O Senhor - escreve o Apóstolo - 'há de pagar a cada um segundo as suas obras'; a ti, pelas tuas; e a mim, pelas minhas. - Se tu e eu nos decidirmos a portar-nos bem, para começar já haverá dois pilantras a menos no mundo" (Caminho, n.534).
Portanto, para começar, vivamos uma vida moralmente digna e íntegra, para nos opormos a este mundo louco e imoral, decadente e degradante. E eduquemos nossos filhos nisso, eduquemo-lhes a se oporem a este mundo, a serem diferentes, a terem moral e inegridade em suas vidas - apesar de gente como o Sr. van der Ham querer ensinar todo mundo a ser gay. Mas não nos esqueçamos de, além de querermos uma vida moralmente digna para nós mesmos e nossos filhos, nos opormos e resistirmos vigorosamente contra qualquer tentativa de destruírem nossas famílias, de destruírem nossa moral, de destruírem a sociedade. Isso não é uma opção para nós: isso é um dever.
                    

Nenhum comentário:

Postar um comentário