quarta-feira, 12 de maio de 2010

De O Globo, com comentários - 48ª Assembléia Geral da CNBB e o PNDH-3

Segue abaixo o texto de O Globo, divulgado em IHU, sobre a discussão em torno do PNDH-3 do Governo Lula na Assembléia Geral da CNBB, que ocorre neste momento. Os meus comentários seguem em vermelho, entre colchetes.
***
Tema polêmico para a Igreja Católica, a terceira versão do Programa Nacional de Direitos Humanos, que virou um decreto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, cria tensão entre participantes da 48° Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, em Brasília. Um grupo menos simpático ao governo do PT defende a negação total do programa. Outro defende o diálogo: é contrário a alguns pontos, mas defende que parte do texto seja preservada.
A divisão reflete o racha político na CNBB.
[Sabemos, portanto, que há um racha na CNBB: os antigos TL's e seus assessores, alinhados com o marxismo cultural do Governo Lula, na impossibilidade de defender o Plano em sua totalidade - porque aí já seria demais... - querem que se defenda ao menos sua maior parte. Cavalo de Tróia! Na defesa desta "maior parte", os TL's fantoches do Governo Lula pretendem é inserir a defesa dos pontos mais controvertidos de forma velada e dissimulada: aborto como "terapia" e "baseado no consenso médido" - como, aliás, já tem Bispo que defende por aí -, invasão de propriedades como "direitos sociais dos pobres e oprimidos", e daí em diante. Segundo me informaram fontes fidedignas, a maior parte dos Bispos é vivamente contrária ao PNDH-3, mas as coisas lá na Assembléia Geral andam dominadas pelos assessores e os  pré-históricos dinossauros TL's, que não facilitam nada. Segundo a notícia de O Globo, há um grupo que defende a negação absoluta do PNDH-3, e isto é muito bom. Rezemos por seu sucesso.]
A reportagem é de Evandro Éboli e publicada pelo jornal O Globo, 12-05-2010.
Bispos influentes decidiram agir para evitar a politização da entidade e esvaziar o ressurgimento de grupos com atuação de esquerda, que tinham força até os anos 80. O temor é que o fortalecimento deles possa levar a um posicionamento de setores da Igreja durante a eleição, com demonstrações de simpatia à candidatura de Dilma Rousseff.
 [A luta dos Bispos sérios - sim, os há no Brasil! Não ganham a Mídia, mas existem... e vários! - é por seguir o apelo do Papa Bento XVI, que em sua mensagem aos Bispos dos Regionais Sul 3 e 4 condenou e advertiu novamente sobre o avanço da Teologia da Libertação.como uma provocadora de dissenso e rebelião [AQUI]. Além disso, os Bispos sérios não são tolos: vêm que o Brasil, do jeito que anda, com esse Governo, está às beiras de um regime comunista, como os amigos do Presidente já implantam em seus países - Venezuela, Bolívia, Cuba... A CNBB não pode ter parte numa conspiração por instalar um regime antricristão e totalitário no Brasil, apesar do que queiram os Bispos e assessores TL's. A politização da CNBB em favor do Governo Lula seria trágica neste momento e, no futuro, uma mancha para a Conferência: seria sua comunhão com os aspirantes a caudilhos e ditadores. Os Bispos sérios querem evitar tal tragédia, cerceando o poder dos grupos de esquerda que há três décadas se imiscuem dentro da CNBB e criam raízes, como um câncer ou um viroso. Estes grupos, alinhados com o Governo comunista e totalitário do Lula, precisam ser freiadas e seu apoio à comuno-abortista Dilma Rousseff - utilizando-se da estrutura da Conferência para isso, como sempre fizeram - deve ser silenciado. Novamente digo: rezemos!]
Presidente da Cáritas Brasileira — setor da CNBB que atua em questões sociais —, dom Luiz Demétrio Valentini, favorável a uma censura apenas aos pontos polêmicos (aborto e casamento homossexual), disse que há também repulsa ao programa.
[Dom Demétrio Valentini, um conhecido TL, alinhado com o marxismo do Governo Lula, admite o que já dizíamos anteriormente: há uma corrente maior de repulsa ao PNDH-3 na CNBB. Sendo TL, não teria razão para mentir sobre seu lado não estar com a força. Se essa corrente vai conseguir vencer a fortaleza criado pelos assessores e Bispos comunistas ao longo destes trinta anos, é outra história... O sistema e a burocracia foram muito bem forjadas por eles, para mantê-los no poder - como, aliás, todo comunista sabe fazer bem -, e por isso recebemos dia após dia notícias amargas da CNBB. Tomara que desta vez, diante da "repulsa" admitida pelo próprio Dom Demétrio, as coisas melhorem... Mas, como veremos, uma derrota do grupo mais sério pelo "Sistema" já houve.]
— Não há consenso sobre o programa. Há tensão nos debates. Alguns bispos estão motivados por certo fundamentalismo incompatível com os tempos atuais e querem mandar o plano e o Lula para o inferno. Não se pode dizer amém simplesmente ao plano. Mas não se pode negar tudo — disse dom Demétrio Valentini.
[Para Dom Demétrio Valentini, portanto, a questão é só de "fundamentalismo incompatível com os tempos atuais"... Falácia comum entre modernistas e comunistas é jogar a idéia de "atualidade" das coisas. Como se matar crianças, casar duplas de homens, invadir propriedades e promover regimes totalitários fosse "ser compatível com os dias atuais". E, na verdade, é, pois os dias atuais são mesmos tempos perdidos. Que bom, conforme Dom Demétrio, ainda existem Bispos "incompatíveis com os tempos atuais"! E que bom que estão dispostos a mandar o PNDH e o Governo Lula ao inferno! É de Bispos assim, corajosos, realmente católicos, que precisamos neste momento trágico da história brasileira.]
A posição sobre o tema deve sair hoje ou amanhã. A entidade divulgará manifesto sobre as eleições de 2010. Para Dom Demétrio, a tendência é prevalecer uma posição equilibrada.
— É preciso admitir a pluralidade. Temos que ser mais condescendentes e aceitar a coisa contrária — disse Valentini.
[Esta foi a derrota de que falei mais acima: no manifesto sobre a situação política nacional, o "Sistema" conseguiu que a coisa saísse morna e insossa, sem nada que denunciasse os arroubos totalitários do Governo Lula e de sua candidata à sucessão, Dilma Rousseff. Já que não sairia a favor dos comunistas, o "Sistema" conseguiu que ao menos não saísse contra... A luta contra o "Sistema" agora é pelo manifesto contra o PNDH-3: os Bispos sérios querem condenação, o "Sistema" não.] 
Integrantes da CNBB relataram desconforto com o que chamaram de “aparelhamento” da entidade, com uma assessoria identificada com os movimentos de esquerda e próxima do governo Lula.
[Como venho falando, há um "Sistema". Esse "Sistema" se formou ao longo de mais de trinta anos dentro da CNBB. É alinhado com o Governo Lula, com a Teologia da Libertação, com o MST e o comunismo em geral. O "Sistema" dentro da CNBB só não é alinhado com uma coisa: a Igreja. É este "Sistema" o responsável por tantas gafes que vemos a CNBB cometer dia após dia, e que nos entristecem porfundamente. Este "Sistema" construiu em torn ode si uma muralha, uma burocracia que os torna imunes e poderosos. É composto de assessores e antigos Bispos, bem como Bispos novos ainda adeptos da TL. Mas os Bispos sérios agora estão incomodados, sentindo-se "desconfortáveis" com o "Sistema"... O motivo? Cerceiam sua liberdade, acham-se donos do poder - e de fato, o são, mas não de direito -, sufocam a Verdade e estão alinhados com ideologias espúrias. Os Bispos sérios estão incomodados com este "aparelho"... Um "aparelho" que há 30-40 anos vem crescendo e se fortalecendo, formado por um Pacto de Catacumbas e contra o qual muito lutou o Papa João Paulo II e o Papa Bento XVI, desde quando Cardeal. Este "Sistema" quase declarou o cisma da Igreja do Brasil na década de 80, quando das Instruções sobre a Teologia da Libertação. E agora os Bispos sérios estão incomodados com ele...]
Esse novo grupo de assessores ganhou força na gestão do atual secretário geral, dom Dimas Lara Barbosa, bispo-auxiliar do Rio de Janeiro.
[O "Sistema" já era forte. Temos um nome, pois, de quem o fortaleceu ainda mais: Dom Dimas Lara Barbosa, Secretário-Geral da CNBB, o mesmo que tentou salvar o PNDH-3 quanto do encontro com o Ministro Vannuchi e que agora, na CNBB, parece estar encabeçando as tentativas de fazer o mesmo. E agora, afirma a notícia, sabe-se que o "Sistema" se fortaleceu em sua gestão...]
As posições contrárias ao programa foram calorosamente aplaudidas.
[Ponto interessante, que confirma a informação de que a corrente de repulsa é maior. Mas é como digo: se esta corrente conseguirá vencer o "Sistema" nesta grande batalha pela "catolicização" da CNBB, é outra história.]
Dom Dimas Lara defende que a CNBB reconheça os avanços do programa, o que incomodou setores moderados e conservadores da entidade.
O secretário se reuniu com o secretário Nacional de Direitos Humanos, ministro Paulo Vannuchi, e discutiram os trechos a serem abolidos. Houve uma ordem do presidente Lula para que Vannuchi exclua a defesa do aborto do texto. A insistência de dom Dimas em defender o Programa de Direitos Humanos cria constrangimentos na Igreja e tem forte reação de bispos conservadores, como dom Filippo Santoro (Petrópolis).
[Como disse anteriormente, é Dom Dimas Lara que parece estar encabeçando as tentativasde salvar o PNDH, o que não vem agradando a muitos Bispos. Se a batalha contra o PNDH for vencida e os Bispos sérios conseguirem arrancar do "Sistema" uma decalaração viva contra o PNDH-3, então também Dom Dimas Lara estará com seus dias de Secretário-Geral mais sombrios (quem sabe, contados...) e o "Sistema" terá sofrido uma grande derrota. Aguardemos e rezemos!]

Nenhum comentário:

Postar um comentário