terça-feira, 19 de outubro de 2010

Site Petista convoca para combater a Igreja como "já foi traçado pelo companheiro Hugo Chávez"

Acabo de receber por e-mail - e o Reinaldo Azevedo já comentou em seu Blog - o texto de um Blog petista conclamando ao combate aberto contra a Igreja visando a seu controle pelo Estado. O Blog PT 20 anos no Poder manifesta seu descontentamento com um certo "comando moderado" e diz que é preciso excitar ainda mais a luta contra a Igreja Católica para que ela seja controlada; não esconde sequer que o objetivo é fazer aqui o que Hugo Chávez fez na Venezuela: submeter a Igreja ao Estado.

Transcrevo o texto - assustador... - abaixo [em vermelho], com comentários meus em seguida [em azul]. Ao fim disponibilizo o print da página, antes que tirem do ar. ;)

Esclareço que não sei de quem é o texto (até o momento, anônimo, como podem conferir na própria página). Está em Blog petista. Só sei que sua autoria deveria ser apurada, pois é de uma afronta tremenda aos princípios e valores de nossa nação.

Atualização - 19/10, 19:03: Segundo notícia de Último Segundo, o PT pediu a investigação da autoria do texto e diz que o Blog em questão não é vinculado ao Partido. Vamos ver no que vai dar... De todo modo, as idéias existem e estão circulando.

A igreja é contra o PT, vamos combatê-la!

O PT não pode se calar diante da onda de calúnias que tem surgido contra a candidatura de Dilma Rousseff nestas eleições.

A direita reacionária usa aquela mesma parcela da Igreja Católica que apoiou o golpe de 64 para espalhar boatos sobre as posições do nosso partido e de nossa candidata. Não iremos nos calar diante de calúnias ditas por padres suspeitos de servir a interesses escusos de nossos adversários.
Com um texto como esse, tão repleto de ódio religioso, não dá para entender porque ainda falam que há "calúnias"...

A história dos "boatos" sobre o aborto já está passada. É amplamente comprovado que não é "boato", mas  FATO. Basta uma conferida com a ferramenta de busca do Blog En Garde para encontrar-se diversas provas. O Youtube está cheio delas também, como essa aqui: http://www.youtube.com/watch?v=4cJZZzWysN4
Além disso, será que não entendem que os católicos têm vida própria? Que a Igreja Católica tem uma doutrina bimilenar contra o aborto (desde a Didaché, um dos primeiros catecismos, do século I) e não depende do PSDB (que nem de direita é) nem de "direita reacionária" alguma para sustentar isso?
Precisamos salvar o Brasil do atraso, e fazer a defesa enfática de um Estado laico, que só será possível com a eleição de Dilma Rousseff. 
Por que o Estado laico só será possível, na visão do texto, com a eleição de Dilma Rousseff? Vocês entenderão na próxima frase...
A Igreja é que deve se submeter ao Estado, e não o contrário. Este caminho já foi traçado pelo companheiro Hugo Chávez na Venezuela: depois de sofrer uma campanha sórdida como a que estamos sofrendo agora, decretou a laicidade do Estado, e agora é o governo venezuelano que controla sua própria Igreja.
"Estado laico" para eles não é um Estado sem religião, mas um Estado que crie uma religião estatal oficial sua. Na Coréia do Norte os líderes ditadores são idolatrados, com direito a templos e estátuas gigantescas; Stálin fazia o mesmo na URSS. O culto da personalidade - que Lula já está conseguindo criar aqui no Brasil; a Revista Época tratou do tema num número recente, analisando o interior de Pernambuco - é essencial ao banimento da religião verdadeira pelos Estados Comunistas e sua substituição, não por um regime ateu, mas por um regime idólatra do Partido e dos ditadores no poder.
Obviamente que isso passa pelo controle estatal das religiões tradicionalmente existentes na nação. O texto não esconde o desejo de ver a Igreja submetida ao Estado segundo um caminho traçado "pelo companheiro Hugo Chávez na Venezuela", onde "é o governo venezuelano que controla sua própria Igreja".
Resta saber se os brasileiros - e falo aqui especialmente aos católicos brasileiros - desejam para si este modelo ofensivo à liberdade religiosa proposta pelo texto em questão, modelo que, segundo o mesmo texto - o texto diz, não sou eu! - só surgirá com a eleição de Dilma Rouseff...
O PT já está processando a Diocese de Guarulhos (SP) por conta da tentativa de interferir no processo eleitoral, mandando imprimir panfletos que denigrem nosso partido e nossa candidata. Não podemos permitir esse tipo de abuso, e faremos o combate de todas as maneiras possíveis. Precisamos continuar pressionando o comando do partido, dito moderado, para que continue defedendo os valores que historicamente são bandeiras do PT.
Humm... Então um certo "comando moderado" arrefeceu na defesa destes tais "valores que historicamente são bandeiras do PT" e agora precisa ser pressionado para voltar à orientação inicial?
Estarão se referindo à carta de Dilma aos cristãos, onde a candidata  [às vésperas da eleição] volta atrás numa série de compromissos históricos do PT?
Então quais são estas bandeiras históricas do PT, que o "comando moderado" precisa ser pressionado a retomar? Respondo: o aborto, a mordaça gay, a união de homossexuais, o cerceamento da imprensa e das liberdades religiosas, o cerceamento do direito de propriedade, etc... As bandeiras do PNDH-3, em resumo. 
Mas como o "comando moderado" voltará a promover estas bandeiras históricas do PT, sem esbarrar na pressão dos cristãos brasileiros, do outro lado?
O texto mesmo responde (é o texto que diz, não eu:) é preciso fazer "o combate [da Igreja] de todas as maneiras possíveis". Ou seja, o texto conclama os companheiros a combaterem o Cristianismo para que o comando do PT possa sentir-se confortável para continuar defendendo suas históricas bandeiras e realizando a Revolução...
O texto fala ainda que o PT já está processando a Diocese de Guarulhos pelos panfletos que são uma nota da CNBB, uma nota pastoral, e não uma "propaganda eleitoral".
Como eu disse dias atrás, o cerceamento da liberdade religiosa no Brasil já começou. Agora até uma nota de viés pastoral precisa passar pelo crivo do Estado, que dirá se ela é só pastoral ou não...
É FATO.
D. Luiz Gonzaga Bergonzini que o diga...
Nós acreditamos na liberdade religiosa, desde que a fé não seja usado como instrumento de dominação da vontade do povo por parte do Vaticano, como vemos acontecer desde as Cruzadas. Pesquisem o histórico dos chamados sacerdotes que se opõem ao PT e tentam manipular a opinião pública contra nós. 
Vejam o conceito de liberdade religiosa exposto no texto: a Igreja deveria se submeter ao Estado, como dito mais atrás, mas a autoridade máxima dessa mesma Igreja não poderá exercer seu poder dentro de sua própria casa!
O texto se volta contra o Vaticano e a autoridade do Sumo Pontífice, exatamente como Chávez fez recentemente ao afirmar  blasfemamente que Sua Santidade não é o Vigário de Cristo.
E por qual motivo o texto conclama a pesquisar o histórico dos sacerdotes que lutam contra o PT? Estarão desejando intimidá-los com algum factóide? Fazer algum tipo de pressão psicológica ou moral sobre os sacerdotes? Não duvido de mais nada...
Estou até prevendo que daqui a uns dias alguém vai inventar algum escândalo - pedofilia é o tema preferido! - para desacreditar Bispos como D. Luiz Gonzaga Bergonzini e D. Aldo Pagotto. Se os inimigos da Igreja tentaram fazer isso com o Papa Bento XVI, quanto mais tentarão com seus subordinados!
Do jeito que as coisas estão andando atualmente, é só o que falta e eu não duvido de mais nada... =[
Está claro que D. Paulo já não tem mais a capacidade de liderar sua Igreja, e uma intervenção se mostra cada vez mais necessária. 
 Dom Paulo Evaristo Arns, o Bispo petista e Teólogo da Libertação, agora é visto como fraco e sem capacidade de levar a Igreja do Brasil a servir aos propósitos do comunismo, como foi feito por tantas décadas... Por que será? Talvez porque D. Paulo é um dos que hoje assina o Manifesto em Defesa da Democracia, contra o Governo do PT.
Mas um fato precisa de esclarecimento: de quem será a "intervenção" tão necessária?
Porque se o texto já disse que o Papa, autoridade máxima na Igreja, não terá mais voz dentro dela mesma, é de indagar-se de quem será esta "intervenção"...
Mas o próprio texto já resolvera a questão anteriormente: se a Igreja deve "estar submetida ao Estado", então essa "intervenção" dentro da Igreja é necessária por parte do Governo. Afinal, é o Governo que, nesta nova noção de "liberdade religiosa", passará a ser a autoridade máxima em religião, "segundo o caminho que já foi traçado pelo companheiro Hugo Chávez na Venezueal", onde "é o governo que controla a sua própria Igreja". 
Temos que agir para que lideranças progressistas, como Leonardo Boff, ganhem espaço na hierarquia católica. 
Então essa é a estratégia? Colocar alguém que praticamente já jogou a Igreja fora de sua vida na hierarquia dessa mesma Igreja?
Outra coisa: se na sociedade comunista tudo é igualitário, por que querem ainda usar esta "hierarquia"? Não será mais coerente destruí-la por completo? O futuro nos dirá...
Do que a Igreja Católica tem tanto medo? Será da nossa proposta de incluir padres na CPI da Pedofilia?
Disso não temos medo, não. Quem cometeu crimes tem que pagar por eles. 
Temos medo é que no Brasil se estabeleça um império da iniqüidade e do autoritarismo, onde as liberdades fundamentais do homem - decorrentes de sua própria dignidade - não sejam respeitadas e até sejam abolidas... 
Disso, sim, temos medo e por isso rezamos para que a Virgem Aparecida, Rainha desta Terra de Santa Cruz, livre o Brasil do flagelo do Comunismo. 
Este é o escopo da Campanha Salvem o Brasil: www.salvemobrasil.com 

Um comentário:

  1. Angélica Souza Santos27 de novembro de 2010 16:15

    Os incomodados que se retirem! Eles é que tem medo e não aceitam a autoridade da VERDADEIRA Igreja, eles sabem que estão errados e podem calar a mídia, não cristão que querem combater o bom combate e tentar encontrar as ovelhas perdidas do Rebanho de Deus. Ainda que o PT amordace minha boca não me calarei! Eles conseguem convencer hereges protestantes! O discurso deles é que são por os menos favorecidos e quando veem gente que não engole suas "conversinhas" tentam golpes baixos como esse de tentar sujar a Igreja. Não existem padres pedófiles, mas pedófiles que se tornaram padres, da mesma forma que existem pastores, pais de família entre outros. A Igreja Católica não é um partido político e sua autoridade não depende do voto do povo, mas foi dada pelo próprio Jesus e com Ele, ninguém brinca! "Se Deus é por nós, quem será contra nós?"

    ResponderExcluir