terça-feira, 25 de janeiro de 2011

A restauração do Brasil depende de um partido? - Pensamentos soltos.

Não vou escrever propriamente um artigo. Como diz o título, serão pensamentos soltos, mas com alguma coesão. Algumas coisinhas que aprendi, especialmente com os Professores Carlos Ramalhete e Olavo de Carvalho.

Muitos vêm em partidos políticos a solução para a degeneração que dia após dia o Brasil experimenta: degeneração das leis, do Estado, dos seus órgãos, dos políticos, etc. A derrocada do Brasil no comunismo - que parece inevitável, humanamente falando - é vista como questão puramente humana, que será o DEM ou o PSDB a resolver. Ignora-se que o DEM e o PSDB estão também comprometidos com a comunistização do Brasil. O PSDB é só a "direita da esquerda", a antítese da tese, o PT; são socialistas da mesma maneira e vai quebrar a cara horrendamente quem pense que está neles a solução. E o DEM é um partido fraco, cheio de fisiologistas, que cerceia quem quer que, dentro dele, aparente ser uma liderança anti-comunista; estão aí a Kátia Abreu e o Índio da Costa para não me deixarem mentir.

Não há partido no Brasil atualmente - atenção: não há! - que tenha qualquer condição de fazer frente à escalada comunista. Os políticos brasileiros - e falo da nossa pretensa "direita" - são covardes ou oligarcas fisiologistas, que se vendem por um pouco de poder ou acham que precisam levar pisa de comunista a vida inteira e não se defender, pois são "pacifistas" demais.

O problema brasileiro é mais profundo: é moral, religioso. A subida do comunismo na política foi precedida de sua subida dentro da Igreja Católica no Brasil. O pilar fundamental deste país sempre foi a Igreja Católica - e nunca deixará de sê-lo. Nosso povo manteve em seu coração o bom espírito católico, conservador e medieval, distanciando-se da Modernidade e dos seus "ismos": nazismo, comunismo, as ideologias do "mundo melhor". No Brasil o povo respeita a autoridade, ama a ordem, não confunde lei do Estado com moral (sabe que há uma Lei superior).

Não é, pois, com querelas partidárias que se vai resolver o problema brasileiro. Não é o voto: as maquininhas nada resolverão. O problema só vai ter solução lá nas bases: é no povo, é restaurando seu espírito católico, conservador. Perderá tempo e energia quem queira lutar no Congresso ou afiliando-se a um partido que, em sua própria doutrina, nada nos representa; fará muito mais pela salvação do Brasil que monte um grupo de Terço no bairro ou uma escolinha para estudar doutrina católica. Porque o gigante brasileiro é católico, mas está dormindo e só tem se mexido quando as cutucadas são mais violentas (aborto, p. ex.); imaginem se esse gigante se mexesse para tudo?

É restaurando o espírito católico do povo que vai ser resolvido o problema do Brasil. E aqui temos um trunfo, pois o brasileiro manteve a Fé em Cristo e a devoção à Virgem, exatamente o contrário da Europa que caiu no racionalismo, no ateísmo e no relativismo, subseqüentemente.

Como diz a frase no alto do Blog, não é pelas mãos humanos que vem a vitória na guerra, mas como um favor de Deus. É com a restauração religiosa e moral do povo que se fará frente ao comunismo e a qualquer "ismo" que aqui tente penetrar, não com partidinhos e joguetes políticos. Infelizmente, os partidos no Brasil já estão perdidos e não é viável investir neles. Faz mais política que ensina doutrina social da Igreja do que quem se aventura em partidos...

2 comentários: